Archive for the Tudo Meu Category

A TERRA É VERMELHA E PRETA

Posted in Tudo Meu on 16/12/2009 by Esparro nº 7

Um título é conquistado. A lembrança de quem viveu de perto essa conquista é construída aos poucos. Muitas vezes leva uma vida inteira e não se consegue descrever com palavras a emoção sentida. Não é reserva de mercado de memórias. É simplesmente como a mente funciona.

A adrenalina é tamanha que acaba por esconder detalhes que vão se desvendando aos poucos durante o decorrer dos anos. Um título é conquistado em um dado espaço de tempo e lugar. Mas saboreado ad eternum. Privilégio de poucos. 

Os pedidos de relatos sobre os jogos finais no Maracanã e sobre a Nação Rubro Negra são infinitos. Muitas vezes permaneço calado. Mudo. Não por falta de vontade de falar. Mas para mim, em que pese o título conquistado, o jogo ainda não acabou. Ainda estou curtindo o grito da Magnética. Ainda sinto o calor infernal do Maraca. Ainda sinto o concreto balançar quando a TORCIDA DO MENGÃO SAI DO CHÃO. Enfim, ainda estou digerindo e processando toda essa avalanche de emoções.

Há 17 anos eu e meu irmão estivemos no mesmo palco, vibrando com o Penta conquistado por Júnior & Cia. Durante todos esse tempo, curti o título como ninguém (e continuarei curtindo, cada vez mais). Agora, começa uma nova era, liderada pelo Imperador, Pet e Angelim. As imagens não me deixam mentir.

Obrigado Mengão! Obrigado NAÇÃO RUBRO NEGRA!

Valieu!

GRANDES EXPECTATIVAS

Posted in Tudo Meu on 27/11/2009 by Esparro nº 7

Antes: eu chegaria em casa, trôpego, ligaria a televisão, acenderia um cigarro, comeria (ou me entupiria de) alguma coisa e iria fritar na cama. 

Agora: chego em casa, a cabeça fervilhando, doido para colocar para fora as milhões de coisas que penso. Que importam. Que ouvi. Não tenho vontade de dormir. Já dormi demais. Letargia nunca mais! Diferente de Shakespeare, algo de bom ocorre no Reino da Dinamarca

Hoje: encontrei-me com a galera da faculdade para tomar umas e outras em um bar. Alguns dos heróis que compareceram (já que choveu píncaros no começo da noite), até mesmo os mais íntimos, estranharam minha aparente tranqüilidade e serenidade. Não sei se o simples fato de estar entre amigos queridos foi o suficiente para liberar uma bomba de endorfina no meu organismo ou, se através dos e-mails e do novel site (blog, página na internet….a dúvida permanece) criei uma expectativa de sempre ser ácido, contundente, polêmico, engraçado….enfim, hermético

Criei uma expectativa. Criei um monstro. Criei um monstro virtual. A Cria do Brunão é um monstro virtual. Em suma, a expectativa está criada. 

Uns sentem saudades dos e-mails diários (e algumas vezes até chatos, diante da freqüência) com assuntos genéricos de cultura variada e (in)útil. Outros questionam se este espaço (veja só, nem sei como chamá-lo…culpa da tal Alguém, sem falar quem) vai se transformar em um desabafômetro pessoal filosófico ou se teria uma conotação mais jocosa? Outros mais nem sabem da existência dessa joça. 

Expectativa é algo perigoso, mas ao mesmo tempo difícil viver sem ela. Fui para o Rio de Janeiro com uma série de expectativas. Algumas foram supridas. Outras foram frustradas. Mas outras tantas foram superadas. Não dá para prever. No máximo, é possível controlar suas conseqüências. 

Desde o começo da semana eu estou na expectativa de postar uns vídeos que fiz na viagem. Fiz até uma propaganda, à boca pequena, sobre minha primeira experiência como diretor de vídeo clipe (ahahahahahaha). Carai, desde então, estou igual um babuíno cego na frente do computador achando que é um microondas, tentando editar e fazer o upload dos benditos vídeos. Expectativas! 

Malandro, sinceramente? Não sei para onde correr. Estou fazendo o que dá na telha. Literalmente. Parafraseando uma canção do Queens of the Stone Age, que, aliás, acho ótima para o momento, estou GO WITH THE FLOW!

MAZENTÃO! Sem chacotagem ou babação de ovo! Não estou pedindo ibope, até mesmo por que não tenho a menor intenção comercial com isso aqui. Quero ouvir Vocês. Por mais estranho que possa parecer: a opinião de Vocês é importante neste momento. 

Desembuchem. Xinguem. Discordem. Concordem. Opinem. Berrem.

Valieu!

A SÍNDROME DE ANDY KAUFMAN ADQUIRIDA

Posted in Tudo Meu on 16/11/2009 by Esparro nº 7

(Sugestão Sonora – REM, Man on the Moon)  

Andy Kaufman foi um incompreendido. Não apreciava o rótulo de comediante. O cara era uma um gênio e artista. Um ilusionista. Brincava com a realidade. Era cobaia de suas próprias piadas. Dissimulava. Enganava sua platéia que, atônita, não sabia o que era realidade e o que era ficção. 

Morreu de câncer de forma prematura em 1984. Já debilitado, nem teve a consciência para perceber que havia provado de seu próprio veneno. Imprensa e opinião pública não acreditavam em sua doença. Achavam ser mais uma brincadeira do sacana. 

Apesar de não ser contemporâneo desse figuraça, o Youtube está recheado de cenas hilárias e existem outras em DVD. Além disso, em 1999, Jim Carrey (outro que considero mais que um simples comediante) encarnou Andy Kaufman nas telas no filme O Mundo de Andy (Man on the Moon). Recomendo, assim como todos os filmes dirigidos por Milos Forman. Ainda desta mesma matriz, o R.E.M., compôs música homônima belíssima (uma das minhas preferidas da banda – vide Sugestão Sonora no começo). 

 

 

 

 

MAZENTÃO! Ao enviar o e-mail teaser do meu site (não sei por qual razão tenho preconceito de chamá-lo de blog) tomei a liberdade de pegar emprestadas técnicas do Andy e, por alguns momentos, pude experimentar o prazer (e também a incompreensão) que ele sentia. REGOZIJEI-ME!!!!!! 

Vamos aos fatos. Porém, vamos relembrar o famoso e-mail:

 

(52)[1]

Nascer, crescer, multiplicar… 

Regra de conduta. Mantra. Lei natural das coisas. Até mesmo Isaac Asimov ao criar as diretrizes robóticas não conseguiu se distanciar deste, que é o comando primordial inserido em todo o ser humano. 

A sabedoria de botequim vaticina que, o homem se tornaria completo, após escrever um livro, fazer um filho e plantar uma árvore. Como representante de classe durante os anos de colégio no Rio de Janeiro, já dei minha cota ao meio ambiente. Tenho provas fotográficas empunhando ferramentas de jardineiro em uniformes escolares em plena década de 80. 

O livro não me causa preocupações. Posso muito bem já estar escrevendo e Vocês lendo o rascunho. 

Então chego ao ponto crítico. O divisor de águas. 

Quando era moleque e ainda jogava bola descalço na rua, fazia planos de me casar com 25 e constituir família (casei com 30, separei com 32 e divorciei com 33). Era a época da primeira namorada, em que sonhava envelhecer com aquela mesma pessoa (ledo engano). Ainda não sabia o que era conta para pagar. Tudo era fantasia e romantismo. 

A gente cresce e descobre que brincar de casinha é um pouco mais complicado (e caro) do que o Falcon “Olhos de Águia” meets Barbie. 

HOJE!!!!!!!!! 

A verdade é que por mais que eu tente nadar contra a corrente, o rio fica cada vez mais caudaloso. E se não bastasse, rostos conhecidos ladeiam as margens, quase como numa competição de natação, tornando a tarefa a tarefa ainda mais hercúlea. É pai, mãe, irmãos, família, amigos, parentes, conhecidos, o cara que sempre te atende na locadora, a caixa da padoca, o porteiro do prédio, o sushiman preferido, a massoterapeuta. Apesar do esforço que faço para subir o rio e me livrar das corredeiras, consigo distinguir os berros que em uníssono tem um único significado: “E aí? E a vida? E o trabalho? Vai casar de novo? E filhos? Tem planos?” 

Esse é preço que se paga por ter escolhido um caminho diferente; por ter escolhido não permanecer casado, por ter escolhido não ouvir o que todos ouvem; por ter escolhido não assistir novela, por ter escolhido queiro gorgonzola (ou roquefort), por ter escolhido ser oposição; por ter escolhido ser do contra pelo simples prazer de ser; por ter escolhido ouvir Metal em 1982 e ainda vestir a camisa (literalmente) com orgulho. Em suma, pelo simples prazer de ser diferente. 

Mas sempre jaz a pergunta: E quando Você for? Você não deixará nada com sua marca?? Você passará por aqui e não deixará rastros??? Não deixará seu DNA no planeta???? VOCÊ NÃO VAI TER UM FILHO???? Interrogações!!!!!!! 

Sinceridade? Mesmo num momento de solteirice convicta, tal questionamento algumas vezes me enche o saquito. Ainda mais agora que só ouço conversa sobre grávidas, bebês, fraldas, festas em buffets e afins. Conseqüência direta dos amigos que seguiram o caminho do bem (heheheheheh). 

Bom, tudo isso, foi um mero prólogo para o que está por vir. Talvez um dos momentos mais importantes de minha vida, até agora (é sempre bom lembrar, apesar de ululante). 

Mandei todas as regras e padrões para a quiuspariu e resolvi fazer uma produção totalmente independente e heterossexual. É com lágrima nos olhos e frio na barriga (mas com muita coragem e convicção) que tenho o grande prazer de informar que, dentro de algum tempo (ainda não sei ao certo quanto), virá ao mundo A CRIA DO BRUNÃO

É isso….hehehehehe….Valieu!

Saca só algumas respostas que eu recebi. Começamos pelas clássicas: 

“Fala sério!!! Rsss”

“Que porra é essa?????”

“Será que eu entendi direito?????”

“QUEQUÉISSOVÉI?!?!?!?!?”

(sic) 

Era meio óbvio que, o brasileiro médio pensaria que eu iria ter um filho ou algo parecido. Porém, na minha humilde e embasada opinião, tal filão pensou equivocadamente. Em outras palavras, leu mal, interpretou pior e concluiu nada. Ou Vocês irão fazer pensar que este novel escriba manda uma letra insana e engana bagarai

“Aêeeeee… Parabéns, vai ser Pai… Forte abraço, acho que vejo você ano que vem na libertadores…Hauhauahuahauha” 

“Parabéns, que seja uma criança iluminada, aproveite para dormir bastante.” 

“Parabéns!!!! Vc. será um excelente pai, tenho certeza!!! Obs.: Foi a notícia mais desabafada que já recebi, “a nível de” novo pai!!! Rsrsrs!!! Mas vc. já sabe se vai ser homem ou mulher? Pq. vc. merece é ter uma filha MULHEEERRRR. Rsrsrsrsrsrs!!! Aí eu quero ver!!!! Beijo no mais novo pai!!!” 

“Entendi corretamente? Temos um novo rubro-negro a caminho? Parabéns.” 

“Fala, que cria é essa? Vai adotar um filho? rsrsrs….” 

“Não havia escrito antes, pois estava, mais ou menos, em estado de choque……..rsrsrs…;Porém, considerando o estilo de vida que você teve , poderíamos pensar que uma produção independente seria algo bastante previsível para você….rsrs….Brincadeiras a parte, espero que você esteja muito feliz ….E que esse filho (a) venha cheio de saúde e traga apenas alegrias !! Mande noticias quando der…..Me conte mais dessa sua nova experiência de vida…. ok?”

 (sic)

Para a alegria da família brasileira ainda temos vida inteligente neste planeta. Alguns me conhecem e sabem que se fosse para ter um filho no estilo Jolie-Pitt, eu iria adotar uma sueca de 19 anos. Teste psicotécnico que somente alguns passaram. Saca ligar os pontos para ver qual animal aparece? Alguns conseguiram ver que bicho era:

“Impressionante como você escreve bem!!!!!!!! PARABÉNS!!!!! Tenho certeza que esta nova etapa é só o começo da realização plena!!!!”

“cria do brunão????? o q sera que vem por ai??? uma menina linda de cabelinhos lisos e loiros, toda meiga. ou um menino capeta……igualzinho da foto???? não sei não……….acho q a cria do Brunão não virá em forma de um bebe fofissimo……o q vc ta aprontando hein???? uma autobiografia??? uma banda de metal??? pq sei q por livre e espontânea pressão dos outros o Brunão não vai fazer uma produção independente ou sequer se deixar levar pelo velho golpe da barriga…..como vc mesmo escreveu vc é muito mais autentico do que muitos possam imaginar….”

“Cara, o texto está muito bem escrito. Daqueles que é gostoso de ler. Se a produção do site seguir este caminho, vai bombar. Aliás, como está o andamento? Pela mensagem abaixo, parece que está pra “nascer”, certo? Conta aê!!”

“Fico no aguardo das cenas dos próximos capítulos!”

(sic)

E tiveram outros que superaram as expectativas e escreveram coisas bem legais. Inspiradoras. Independente para qual caminham seguiam:

“Belo texto, bela iniciativa, e, concordo plenamente…nada de seguir regras impostas pela sociedade! Já que nas empresas o que mais ouvimos é “faça diferente!” vamos levar isso ao pé da letra na vida pessoal Tb!” 

“Gostei de ver!!! Parabéns Brunão, não é todo mundo que assume o que realmente somos perante a sociedade. Isso sim é ter coragem, é sair da escuridão é ser realmente o que a gente é…fora da bolha, dos padrões criados por nossas criações. Quem é assim, quem tem coragem de se assumir e ser verdadeiro consigo e com os outros normalmente é “cruxificado”. Estes padrões ter filhos, família, trabalho, grana, sucesso o que realmente basta? O que é ser normal? De coração, muita força pra vc. Não é facil ser autentico mas vale a pena pagar este preço!!! Grande Abraço, Muita força

 (sic)

E ainda tiveram as repercussões fora do mundo virtual. Transformando Bíblia em brochura, minha sanidade mental foi questionada dentro da minha família e minha sexualidade colocada em dúvida por alguns supostos colegas. E olha que tive o cuidado de escrever que o projeto, apesar de independente, seria heterossexual. Daí a minha prévia conclusão: o povão (generalizando mesmo) gosta de ler manchetes em caixa alta e ouvir notícia mastigada pelo Datena. Ou é falta de massa cinzenta mesmo! PERALÁ: não é a mesma coisa?

Tenho que salvar desse balaio a minha irmã! Apesar de muitas vezes batermos de frente, foi a única que fez algo que para muitos pareceu uma tarefa hercúlea: pegou o aparelho inventado por Alexander Graham Bell, digitou o meu código (também conhecido como nº de telefone) e perguntou se eu teria um filho. Sanada a dúvida, demos risadas e conversamos sobre os planos da vida. Quando o site foi ao ar, foi uma das poucas que mandou uma letra aberta de apoio. (Ok, deixei de fora a voz embargada de emoção no momento do telefonema sob a suspeita de ser tia novamente…..mas fazer o quê? Mulher é assim. Sensível e sentimental. Te amo!)

E o desfecho disso tudo? Mais uma vez acho que posso dizer que experimento o mesmo que o velho e finado Andy Kaufman vivenciou. Um pouco de decepção. Mas eu disse um pouco. Mas bem pouco mesmo. E explico: recebi muito mais retorno no e-mail Cria do Brunão do que quando o site foi ao ar. 

Geral ficou putaça (assim como muitos ficavam com as tiradas do Andy) ou ainda não entendeu nada (melhor assim). 

Well, humor é para poucos. E para poucos com inteligência. Mas sem rancor. Para terminar, o e-mail resposta hors concours na íntegra. Enjoy essa pérola (o cara é crânio, escreve muito, mas exagerou nos barbitúricos): 

“Embora mantemos uma distância saudável, ou seja, nunca nos imiscuímos nos pensamentos mais profundos da nossa existência particular, sempre te respeitei pelo espírito crítico. Isso não quer dizer que eu concorde com tudo que você fale. Mas como disse alguém em algum dia em algum lugar, eu não concordo com você, mas morrerei pelo seu direito de poder falar o que pensa.  

Nesse sentido, gostaria de consignar alguns pensamentos meus sobre suas palavras. Em primeiro lugar devo considerar que você quis tratar do mistério da vida, onde perguntas como: De onde eu venho? Para onde eu vou? Estão presentes na humanidade desde a época da razão. Essas perguntas, infelizmente, desde a visão Kantiniana, ficou certo que não devem ser respondidas pela ciência ou até mesmo pela filosofia, pois advém a razão subjetiva em contraponto à razão objetiva, essa sim, objeto de investigação dos nossos sentidos. Em função disso pode-se notar o empobrecimento dos diálogos, entre nós, onde assuntos mais densos e reflexivos são alvos de descasos e críticas. 

Assim, o importante não é o caminho que você resolve percorrer nesse mundo de ilusão que vivemos, e sim o sentimento que está por trás do caminho. Tudo vale a pena quando a alma não é pequena. Eu que me tornei pai, posso lhe afirmar que a aventura e auto superação são muito grandes. Os sentimentos que podem ser gerados a partir da relação familiar têm a força de levar o ser humano a um entendimento mais profundo do sentimento dos outros e com isso criar uma força de compaixão. Contudo, penso que esse não é o único caminho, ao contrário, muitas vezes tem o efeito inverso, transformando o ser humano em seres medrosos e egoístas, ligado tão somente ao vínculo sanguíneo o que por si só depõem contra o todo. Penso que em nossas buscas o bem estar dos outros deveriam estar a frente dos nossos, entretanto, é verdade, esses pensamentos ainda habitam o plano do ideal e não do real, pois na hora que as coisas apertam o discurso é esquecido.

 Brunão, você é portador de grande energia e poder espiritual, que se bem direcionado pode deixar boas marcas em sua história, sem necessariamente seguir o caminho mais tradicional. Contudo, permita que eu fale, a bomba atômica também contém grande energia e poder. Em sua luta, não esqueça do nosso inimigo, que já há muito tempo nos acompanha, “nós mesmos”.

 Vale a máxima Socrática: “Conheça a ti mesmo”

 Seja o que estiver pensando, que seja feito lembrando que o Bruno não é tão importante assim, e que somos responsáveis por nossas ações. 

Meu amigo, embora não exista tanto contato assim, estarei sempre à disposição para ajudar ou mesmo para refletirmos em conjunto. 

Tem um autor que atualmente eu o estudo muito, que faz a seguinte consideração: 

“Decidir-se, mesmo nos atos mais insignificantes, somente na base de uma ponderação fundada e total. Afastar da alma todo agir impensado, todo fazer desprovido de significado. Se estivermos convencidos da retidão de uma decisão tomada, devemos ater-nos a ela com toda firmeza. Essa decisão não pode depender de simpatia ou mesmo antipatia.” 

São somente palavras, quem vai dar significado a elas somos nós mesmos. Essa é a idéia de conceitos vivos. 

Valeu meu velho. Um grande abraço, paz e harmonia.”

 (sic)

 vader.dictionary

Considere uma homenagem.

Valieu!

PAI DOS BURROS

Posted in Tudo Meu on 12/11/2009 by Esparro nº 7

hermético adj. 1. Inteiramente fechado, de sorte que o ar não possa entrar. 2. De compreensão muito difícil.”

(Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa – 3ª Ed. – 1989 – Ed. Nova Fronteira)

 Hoje é dia de inauguração e comemoração, mas nem por isso devemos esquecer quem manda por aqui. Como aperitivo, aí vai um trecho da maravilhosa Imperial March, composta pelo Mestre John Williams. Este vídeo foi gravado durante uma apresentação da Orquestra Sinfônica da Groelândia. Descontente com a condução de seu tema, nosso querido amigo da capa preta (não é o Tenório) expulsou il Maestro e mostrou que além do sabre de luz, maneja como ninguém a batuta!

Valieu!

NASCEU!!!!!

Posted in Tudo Meu on 12/11/2009 by Esparro nº 7

“It’s a boy Mrs. Walker it’s a boy….It’s a boy Mrs. Walker it’s a boy….A SON! A SON! A SON!”
(The Who –  Tommy)

stillborn

Decepcionei alguns, fiz a alegria de muitos e confundi a caboca de tantos outros. Eis minha CRIA! Ainda recém nascida, mal sabe se expressar. Mas com o passar do tempo, a experiência promete lhe conferir armas para fazer estragos, provocar risadas e criar polêmica!

Como diria meu velho amigo Ozzy: LET THE MADNESS BEGIN!!!!!

Valieu!